ok - Trabalhar na França – culturas e hábitos

Trabalhar em um país que não é o seu pode ser uma tarefa difícil. É necessário se integrar a uma nova equipe e se adaptar a métodos e maneiras diferentes. E quanto aos franceses no ambiente de trabalho, é importante conhecer alguns comportamentos para facilitar essa transição.


Comparadas a outras culturas, os franceses trabalham “pouco” pois eles tem em média 5 semanas de férias remuneradas e 11 feriados por ano. Além disso, eles não trabalham mais que 35 horas por semana e se aposentam aos 62 anos. Entretanto, a França faz parte dos 10 primeiros países mais eficazes por hora. Então, atenção: menos horas de trabalho não significa menos trabalho!


É notoriamente sabido que os franceses dão muita importância às refeições. Fora de questão pular o almoço! Os empregados tem geralmente uma hora de almoço e às vezes até mais, para aproveitar de uma verdadeira refeição. Sem esquecer as pausas para o café ou para o cigarro ao longo do dia.


Quanto ao contato com os colegas de trabalho, depende muito da empresa em que se trabalha. É frequente que as pessoas do mesmo nível hierárquico se tratem com menos formalidade, mas com níveis superiores, o ambiente é formal. O mais comum é as pessoas cumprimentarem seus superiores com um aperto de mão, o que não é necessário entre colegas. E atenção: não é necessário dar beijinhos, um simples “bom dia” é suficiente.


Os assuntos que se falam entre colegas são os clássicos: tempo, atividades de lazer, atualidades, política.... Uma das particularidades dos franceses é que eles adoram reclamar, especialmente do trabalho: da carga de trabalho, dos seus superiores, dos benefícios sociais (férias, aposentadoria, seguro saúde, ... Entretanto, o sistema francês é muito mais vantajoso que outros, mas reclamar pode ser uma maneira de se comunicar com os colegas, mas do que um sentimento real. Mas atenção: reclamar é mal visto quando se é recém-contratado!


Seja no ambiente de trabalho ou fora dele, há uma coisa da qual os franceses não discutem: sua remuneração. De fato, não se diz facilmente quanto se recebe. Enfim, na sociedade, muitos franceses se identificam mais com a empresa onde trabalham do que com sua profissão. Por exemplo, é comum alguém dizer que trabalha na prefeitura ao invés de dizer que é jardineiro público.


Fonte: LCF-magazine

0 visualização