ok - O martírio de Saint-Dénis


Dentre as muitas bizarrices arquiteturais que encontramos por Paris, muitas possuem um sentido mais profundo ao pesquisarmos um pouco mais.

É o caso de um imóvel na 11 bis, Rue Pierre-Nicole, 5eme, construído em 1979 sobre as ruínas de uma capela que foi o lugar de reunião dos primeiros cristãos da Lutécia que ouviam as pregações de Saint-Denis.

Vindo a Paris para evangelizar a região, o apóstolo se instalou ali, encontrando refúgio em um minúsculo cômodo vizinho de uma grande necrópole galo-romana.

A história de Saint-Denis é tão surpreendente que nos encantamos por ela e nossa admiração por este santo só aumentou!


Bem, vamos a ela: por volta do ano 250 d.C., Dénis e seus companheiros cristãos pregavam em segredo o Evangelho na Lutécia romana, o que não agradou nenhum pouco o prefeito Fecênios que os prendeu e, para que fossem libertos, deveriam renunciar ao cristinismo e suas práticas. Diante da negativa de Denis, a única opção era a decapitação diante do templo de Mercúrio, no monte dos mártires, para que servisse de exemplo aos transgressores da época.


No dia do acontecimento, houve a decapitação de Dénis, mas eis que o milagre acontece! O corpo decapitado dganha vida, se levanta, pega sua cabeça e desce a colina até um bosque onde havia uma fonte. Ali, ele limpa sua cabeça na fonte e retoma sua caminhada. Ele continua em direção ao norte e só para diante de uma jovem viúva, onde o corpo cai, sem vida. Neste local, ele é enterrado pela jovem e sobre seu túmulo, nasce trigo.

Em 475 d.C., Sainte-Geneviève transporta os restos mortais de Saint-Dénis para um novo túmulo sobre o qual ela faz construir um oratório, onde se encontra hoje a igreja Saint-Dénis-de-La-Chapelle.


Durante o reinado de Dagoberto, os restos mortais são novamente transferidos para a abadia real Saint-Dénis, necrópole da dinastia capetíngea.

A fonte em que o mártir Dénis parou para lavar sua cabeça tornou-se um lugar de peregrinação. Sua água tinha poderes de curar doenças e também de garantir aos maridos

a fidelidade de suas esposas.

E o monte dos mártires, bem, esse nós podemos ainda visitar e talvez muitos já o conheçam, principalmente aqueles que já foram a Mont-Martre!


Fonte: Curiosité de Paris - Parigramme

Fonto: Paris pra Mim

0 visualização